WhatsApp
Facebook
Imagem de destaque - Paraná planeja estabelecer Rede de Ajuda Humanitária com alcance nacional, anuncia governo

Nesta segunda-feira (13), o Governo do Paraná apresentou à Assembleia Legislativa um projeto de lei que cria a Rede Estadual de Ajuda Humanitária. Esta iniciativa visa oferecer assistência imediata e acolhimento às pessoas vulneráveis em situações de crise humanitária, como as decorrentes de eventos climáticos extremos, como chuvas intensas ou secas. O Paraná é pioneiro no país ao estabelecer uma rede desse tipo, podendo servir de modelo para todo o Brasil. O projeto será analisado em regime de urgência.

De acordo com a proposta, a Rede Estadual de Ajuda Humanitária terá o propósito de agir rapidamente em situações de emergência, não apenas no Paraná, mas também em outros estados da Federação, como foi o caso da crise no Rio Grande do Sul. A rede facilitará ações sociais, permitindo inclusive a participação de organizações da sociedade civil na implementação de medidas, como campanhas de arrecadação e criação de mecanismos para facilitar doações.

A comissão permanente da rede será composta por membros da Superintendência Geral de Ação Solidária, Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Secretaria de Desenvolvimento Social e Família, e Secretaria da Justiça e Cidadania. Os recursos serão geridos pelo órgão responsável pela iniciativa emergencial, com transparência na sua utilização.

Segundo a primeira-dama do Paraná, Luciana Saito Massa, o projeto de lei visa aprimorar a resposta do governo em situações críticas. “Esta Rede Estadual de Ajuda Humanitária chega em um momento crucial. Será essencial para proporcionarmos uma resposta rápida em momentos de crise, indo além do que já tem sido feito pelos nossos irmãos gaúchos, com a organização de doações, apoio logístico e mobilização das forças de segurança e resgate”, destacou.

Ela enfatizou ainda que, além de auxiliar todos os municípios paranaenses, o projeto permitirá o socorro a qualquer entidade federativa enfrentando uma crise humanitária.

O coordenador-geral da Defesa Civil do Paraná, coronel Fernando Schunig, ressaltou a importância da agilidade na resposta às situações de emergência. “As pessoas em situação de sofrimento precisam de atendimento imediato. Às vezes, o reconhecimento da calamidade pública é um processo burocrático. Com a nova rede, será possível enviar imediatamente alimentos, materiais de higiene e equipes especializadas de forma legal”, afirmou.

O Paraná tem se destacado no auxílio às áreas afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. Até o momento, a campanha SOS RS arrecadou mais de 3,3 mil toneladas de ajuda humanitária. O estado enviou também recursos humanos e materiais para ajudar nas operações de resgate e assistência às vítimas. Os esforços conjuntos evidenciam a solidariedade e a prontidão do Paraná em momentos de crise.

Situação no Rio Grande do Sul

De acordo com informações do governo gaúcho, as chuvas e inundações afetaram 447 municípios, resultando em 147 mortes, 806 feridos e 127 desaparecidos. Cerca de 538 mil pessoas estão desalojadas, com 79 mil abrigadas em locais de acolhimento. As equipes de resgate já auxiliaram no resgate de 76 mil pessoas e 10,5 mil animais.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Imagem de destaque - Alteração do nome